Ampliação de escolas com uso de containers gera polêmica na Câmara de Boa Vista

O contrato firmado pela prefeitura de Boa Vista com uma empresa de Pernambuco, no valor de R$ 4,6 milhões, para o fornecimento de containers que serão usados para a construção de salas de aula nas escolas da rede municipal de ensino foi tema de debate entre os vereadores de Boa Vista, na sessão desta quarta-feira (20 de fevereiro). O vereador Genival da Enfermagem (PTC) apresentou dois requerimentos solicitando informações técnicas da Prefeitura da Capital sobre o projeto.

Os acidentes com containers envolvendo os clubes de futebol Flamengo, onde dez atletas morreram queimados e asfixiados, e Bangu, que resultou em três atletas feridos, foram citados por Genival da Enfermagem como exemplos de que o uso de containers pode não ser uma solução segura. “Eu estou aqui defendendo a segurança dos nossos filhos que estudam nas escolas municipais e que poderão estar expostos ao perigo”, disse o parlamentar.

Além da segurança dos alunos, outro aspecto levantado por Genival da Enfermagem e por outros vereadores como o Pastor Jorge (PSC), Linoberg Almeida e Aline Rezende foi o fato de a Prefeitura de Boa Vista ter priorizado uma empresa de fora para a aquisição dos containers em detrimento dos empresários de Roraima.

“Porque optar por uma empresa do Pernambuco. É bom que nas belas propagandas da Prefeitura seja informado à população que os fardamentos dos alunos do município não foram adquiridos junto às costureiras de Roraima e que os containers das salas de aula foram comprados no Pernambuco “, disse Linoberg.

Os vereadores Pastor Jorge e Magnólia Rocha citaram exemplos de escolas de Santa Catarina e de Minas Gerais que adotaram o projeto de salas de aula construídas com containers e que já são alvos de reclamação.

“Numa escola de uma cidade catarinense cujas salas de aula funcionam em containers já há reclamações quanto à temperatura”, disse a parlamentar. Pastor Jorge observou que na cidade de Santa Luzia (MG) os professores reclamam do tamanho das salas de aula.

Outro lado

O líder da prefeita Teresa Surita na (MDB), vereador Zélio Mota (SD), disse que o projeto foi submetido ao Ministério da Educação e teve sua segurança avaliada. Mota disse que o uso de containers dá mais celeridade ao processo de construção das salas de aula. O parlamentar afirmou ainda que em Boa Vista já existem vários projetos bem sucedidos com o uso de containers. “É preciso discutir os temas aqui na Câmara de forma Serena e não midiática”, criticou.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.