Sexta Turma do STJ nega habeas corpus à deputada Ione Pedroso que segue em prisão domiciliar

Presa na Operação Zaragata, em dezembro de 21018, a deputada estadual eleita Ione Pedroso (SD), mesmo partido do presidente da Assembleia Legislativa Jalser Renier, teve habeas corpus negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). A parlamentar cumpre prisão domiciliar. Ione deixou, inclusive, de comparecer à solenidade de posse no dia 1 de janeiro último. Ela foi diplomada, mas não tomou posse.

O ministro Antonio Saldanha Palheiro, da Sexta Turma do STJ, negou o habeas corpus a Ione Pedroso na terça-feira (8 de janeiro). Palheiro recusou o pedido de liminar feito pela defesa da parlamentar para que ela saísse do regime de prisão domiciliar. Conforme o STJ, o mérito da questão ainda será julgado pela Sexta Turma. No entanto, ainda não há uma data definida para o julgamento.

Nesta quarta-feira (9 de janeiro), o empresário José Wallace Barbosa, marido de Ione Pedroso, que estava foragido, foi preso pela Polícia Federal em São Paulo. A empresa de propriedade do casal é investigada num esquema de desvio de recursos do transporte escolar, montado na Secretaria de Educação do Estado de Roraima (SEED), durante a gestão da ex-governadora Suely Campos (Progressistas).

Por estar cumprindo prisão domiciliar, a deputada Ione Pedroso está impedida de sair de casa, assim como de manter contato com outros investigados e de ter acesso ao seu telefone celular. A deputada e seu marido são acusados de terem participação numa organização criminosa que desviou cerca de R$ 78 milhões de verba pública em contratos para transporte escolar com o governo.

Anúncios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.