Maduro assume segundo mandato fazendo ameaças a países que não reconhecem legitimidade do seu governo

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, assume seu segundo mandato fazendo ameaças aos mandatários de países vizinhos, como Jair Bolsonaro, do Brasil, e Murício Macri, da Argentina, que não reconhecem a legitimidade da recondução do ditador bolivariano. Maduro disse que adotará medidas duras e enérgicas contra os presidentes dos países que não reconhecem seu novo mandato, nos informa o jornal argentino La Nacion.

Poucos presidentes de países com regime de governo parecido com o da Venezuela compareceram ao país para dar apoio e prestar homenagens a Maduro. Chegaram à Venezuela os presidentes de Cuba, Bolívia, Nicarágua e El Salvador. Turquia e Suriname enviaram seus vice-presidentes. A Ossétia do Sul, uma república pró-russa reconhecida por poucos países, também enviou seu presidente.

Enquanto isso, 13 países membros do chamado Grupo de Lima, entre os quais está a Argentina, e os 28 países que compõem a União Europeia, se negam a reconhecer a eleição realizada em maio de 2018, e em consequência, desconhecem o segundo mandato de Maduro. O presidente boliviano, Evo Morales, disse no Twitter que “o povo venezuelano não está sozinho” e que “o #PatriaGrande unida defenderá a revolução Bolivariana”.

Por sua vez o presidente cubano, Manoel Díaz defendeu a importância da integração latino-americana e caribenha. Segundo Días “não é possível subestimar a grande mobilização de recursos de nossos adversários históricos para impedir que forças progressistas e populares permaneçam no governo”.

Segundo o jornal Clarín, o maior jornal argentino, faz sérias ameaças aos países que não reconhecem seu governo. As ruas da capital Caracas amenheceram repletas de policiais e homens da Guarda Nacional, fiéis a Maduro. O Clarín informa que o presidente venezuelano deu um ultimato de 48 horas para que às 13 países do Grupo de Lima retifiquem seu posicionamento.

Foto: Twitter

Anúncios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.