Repórter da Rede Globo sofre intimidação no interior do Palácio Senador Hélio Campos

Meus caros, boa tarde!

Roraima vive dias difíceis, nós já sabemos. A corrupção, o compadrio e os desmandos políticos afundaram o estado. Como se não bastasse isso, quando a imprensa tenta trabalhar para manter a população informada sobre os rumos que a nossa nau pública desgovernada cheia de avarias está tomando, surgem tentativas de intimidação e coação de todas as partes, contra nós, jornalistas. A história que passo a relatar agora aconteceu no interior do Palácio Senador Hélio Campos, na quinta-feira (6 de dezembro), com o jornalista e repórter da Rede Globo/Rede Amazônica, Alexandre Hisayasu.

Conforme as informações apuradas pelo blog, na quinta-feira à tarde Hisayasu, que está na em Roraima fazendo matérias sobre a situação de insolvência financeira do estado para os jornais da Rede Amazônica e da Rede Globo, foi participar de uma entrevista previamente agendada com representantes do Governo de Roraima. O conteúdo da entrevista foi, inclusive, utilizado nos telejornais da TV Roraima e da cabeça de rede.

Porém, antes do início da entrevista, enquanto a equipe da emissora esperava para ser atendida numa das salas da Palácio Senador Hélio Campos, nas proximidades do Salão Nobre da sede do governo, um subtenente do Gabinete Militar do governo, identificado como Freitas, entrou no ambiente dizendo que havia recebido uma denúncia de que alguém poderia estar armado e pediu para o repórter Alexandre Hisayasu acompanhá-lo, pois havia a necessidade de que ele fosse revistado.

Mesmo sob os argumentos do conceituado profissional da Rede Globo/Rede Amazônica de que era um jornalista no exercício da profissão, de que não estava armado e de que aquilo soava como uma tentativa de intimidação – segundo o blog conseguiu apurar – Hisayasu foi conduzido a uma sala ao lado Gabinete Militar do Palácio do Governo, onde passou por uma revista. O jornalista foi obrigado a deixar seus dados, como nome e número de telefone celular.

Ainda conforme as informações apuradas ao blog, porém não confirmadas por Alexandre Hisayasu, uma vez que ele não foi encontrado por este blogueiro para comentar o assunto, o secretário da Casa Civil, Ivo Galindo, teria sido comunicado sobre o ocorrido, mas teria afirmado se tratar de um mal entendido. O papel onde os dados do jornalista foram anotados teria sido rasgado mais de 40 minutos depois da revista.

Tentando confirmar as informações e ouvir todas as versões acerca do episódio, o blog manteve contato com Ivo Galindo, que disse não ter presenciado nada e nem saber absolutamente nada sobre o ocorrido. “Eu não tomei ciência deste episódio. Não estava presente no momento em que teria acontecido esse fato que lhe relataram. Posteriormente comentaram comigo e eu disse que não sabia do que se tratava”, afirmou o secretário do governo de Suely.

A Rede Amazônica também foi procurada pelo blog para comentar o fato, mas a direção da emissora em Roraima disse que não se pronunciaria sobre o assunto. Foram feitas tentativas de falar com a Assessoria de Imprensa da Rede Globo no Rio de Janeiro e São Paulo, mas a reportagem não obteve êxito.

O fato é que a história é por demais escabrosa. Este blogueiro, que já fui vítima de tentativa de intimidação por policiais da Guarda Legislativa da Assembleia, sabe bem o quanto é constrangedor passar por esse tipo de situação. No momento em que somos abordados com ameaça e truculência, a sensação que fica é de indignação e impotência. Mas logo recobramos os forças e reagimos. No caso do ocorrido com Hisayasu, o episódio foi devidamente denunciado na Polícia Federal, conforme o blog apurou. Que as providências devidas sejam tomadas.

Anúncios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.