DENARIUM – ‘Roraima está cansado da velha política’

Novato na política, o empresário do agronegócio Antônio Denarium (PSL) encarnou o novo nesta eleição e conseguiu sair na frente no primeiro turno da disputa pelo Governo de Roraima com 113.468 votos. Tem como adversário no segundo turno José de Anchieta (PSDB), que obteve 104.114 votos. Tendo o combate à corrupção como sua principal bandeira, Denarium conseguiu arregimentar um verdadeiros exército de simpatizantes. A primeira pesquisa Ibope feita para esta segunda etapa do pleito o coloca na dianteira do seu adversário com 62% da preferência do eleitorado. Nesta entrevista ele responde a perguntas sobre questões, administrativas, financeiras, gestão de crises e de novos investimentos. Boa leitura!

Blog do Luiz ValérioAntônio Denarium, o senhor chegou ao segundo turno da eleição para o Governo de Roraima em primeiro lugar, contrariando o que apontavam as pesquisas Ibope. Na sua opinião, qual foi o fator que levou a esse resultado?

Denarium – O desejo de mudança da nossa população, já cansada da velha política. Sempre disse, ao longo da campanha, que as pessoas sempre reclamaram por não ter opção para votar. Que os candidatos eram sempre os mesmos. A minha candidatura nasceu desse anseio pelo qual passa todo o Brasil. E em Roraima não é diferente. O eleitor está cansado das mesmas promessas. Que entra eleição, passa eleição, não são cumpridas. O nosso Estado está estagnado há 30 anos e povo não quer mais esperar. A nossa votação provou isso. Foram 113.468 votos, quase 10 mil a mais que o segundo colocado. O resultado mostrou que Roraima quer mudança, quer desenvolvimento, oportunidades, serviços públicos de qualidade e, acima de tudo, transparência e combate à corrupção.

Blog do Luiz Valério – O senhor é apontado por seus adversários como um neófito na política e, portanto, sem experiência administrativa na gestão pública. Daí eu pergunto: porque o senhor considera que merece ser eleito governador de Roraima?

Denarium – Meu sucesso profissional me credencia. Minha especialidade é administrar. Comecei a trabalhar aos 10 anos de idade e nunca mais parei. Me tornei um empresário e produtor rural reconhecido no estado. Nunca precisei de favor de políticos, nem do poder público. Sempre atuei do outro lado, na iniciativa privada. Me orgulho do meu trabalho. Sou diretor-presidente do Frigo 10, o mais moderno frigorífico de abate do Brasil, que gera quase 200 empregos. Também atuo no ramo imobiliário e ao longo do tempo, como cidadão, cansei de esperar por ações dos nossos governantes, de políticas públicas visando o desenvolvimento de Roraima, que nunca passaram de promessas vazias, que jamais foram concretizadas. Enquanto outros Estados brasileiros se desenvolveram e conquistaram independência de sua matriz econômica, nós paramos no tempo. Eu vou mudar essa triste realidade. E o trabalho vai começar no dia 29 de outubro, um dia após a nossa eleição.

Blog do Luiz Valério – Quais propostas o senhor tem para alavancar a economia do estado e fazer Roraima crescer efetivamente?

Denarium – A nossa aposta é definitivamente no setor primário. A vocação de Roraima é a produção de alimentos: carnes, frutas e grãos. Mas para isso é necessário resolver primeiro, os gargalos que impedem o nosso desenvolvimento, que nunca foram solucionados pelos nossos governantes: segurança energética, regularização fundiária e Zoneamento Econômico Ecológico. Já tenho o compromisso do nosso futuro presidente, Jair Bolsonaro, que resolveremos esses entraves com apoio total do governo federal. Dessa forma, os passos seguintes serão atrair novos investimentos. É no campo que vamos transformar o nosso Estado. Hoje produzimos apenas 42 mil hectares. Podemos chegar 100 mil, 200 mil, 1 milhão de hectares. Hoje, Roraima possui 7 milhões de hectares disponíveis para serem trabalhados, dos mais de 22 milhões que compõe o nosso território. Isso, respeitando as áreas indígenas já homologadas, as áreas de conservação e parque ecológicos. Não vamos alterar nada do que já foi feito. Vamos trabalhar com as áreas disponíveis, que são suficientes para mudar a realidade econômica de Roraima e do nosso povo. Também seremos parceiros da agricultura familiar e indígena, com projetos específicos para as comunidades.

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fblogueiroluizvalerio%2Fvideos%2F316244528968728%2F&show_text=0&width=560

BLV – O senhor é oriundo o setor empresarial, atuando nos ramos financeiro, imobiliário e do agronegócio. Quais atributos o senhor considera ter que seu concorrente não possui e que poderiam fazer a diferença num eventual futuro governo seu?

Denarium – Eu sou reconhecido pela habilidade de administrar com excelência. Na minha vida profissional, sempre trabalhei muito e jamais pulei etapas. Comecei a trabalhar com meu pai, aos 10 anos de idade. Aos 18, comecei a trabalhar do Banco Bamerindus. Aos 25, me tornei o mais jovem gerente, entre as mais de 1.300 agências. Ali permaneci, mesmo quando ele foi comprado pelo HSBC, por mais cinco anos. Sempre tive uma forte veia empreendedora. Desde então venho atuando em diferentes segmentos, sempre na iniciativa privada. Jamais tive cargo público, nem participei de licitações. Nunca vendi um prego sequer, para governo ou prefeitura. O que eu conquistei, foi com muito trabalho. Essa experiência, vou levar para o governo. Vou investir cada centavo dos recursos, com a mais absoluta responsabilidade, lutando sempre pelos interesses da nossa gente. Não admitirei corrupção, seja de quem for. A nossa principal contribuição para a política roraimense, vai ser por fim aos conchavos, às negociatas, ao toma lá, dá cá, às propinas. Vamos primar pela economia, pela produtividade e bom uso dos recursos, até porque, Roraima passa por um delicado momento. Temos consciência que termos uma primeiro ano de austeridade, mas que será necessário para ajustar o estado para os investimentos futuros.

BLV – Essa campanha está sendo marcadas pelas chamadas Fake News (notícias falsas) em nível local e nacional. O senhor mesmo foi alvo de muitas publicações maliciosas nas redes sociais. Quais cuidados o senhor tomou para não permitir que sua campanha fosse contaminada por essa onda que prejudica a democracia?

Denarium – Eu fui o alvo preferido de todos os meus adversários no primeiro turno, que muitas vezes deixaram de focar nas propostas, para me atacar de forma covarde. Inventaram mentiras, tentaram manchar a nossa campanha. Mas o que eles não esperavam era a mudança de postura do eleitor roraimense, que hoje está muito mais atento e interessado. Em vez de acreditar nas mentiras, o eleitor foi atrás de saber quem é o Antonio Denarium. De certa forma, os ataques até nos ajudaram. Porque quem ainda não conhecia, foi atrás de saber quem eu era. E aí conheceu os nosso propósitos e a nosso projeto de desenvolvimento para Roraima. Prova disso foi a nossa expressiva votação no primeiro turno, quando 113.468 pessoas confirmaram o 17 nas urnas, como a opção para mudar o nosso Estado. Continuamos mantendo a nossa postura ética, sem ataques pessoais contra o adversário. Mantemos sim, uma postura firme, crítica, quanto ao desempenho administrativo do outro candidato, que teve oportunidade de resolver os problemas do nosso Estado por sete anos, não o fez e quer que a população acredite, que agora, vai fazer.

BLV – O Estado de Roraima vive um momento econômico e financeiro muito difícil. Na sua opinião, quais fatores contribuíram para que o estado chegasse a essa situação e quais soluções que o senhor tem para tirar Roraima deste quadro de insolvência financeira em que se encontra hoje?

Denarium – O atual momento de crise por que passa o estado é o resultado de más gestões seguidas. Em nome de projetos políticos pessoais, se colocou o estado como fiador. Faltou investimento em áreas essenciais como saúde, educação, segurança e infraestrutura e ainda por cima, foram feitos empréstimos bilionários que deixaram Roraima endividado. Quem hoje se apresenta como solução, contribuiu de maneira direta para piorar esse cenário. Não há fórmula mágica. Não se pode gastar mais do que se arrecada. E foi justamente o que os governos fizeram até hoje. No primeiro ano de governo, precisaremos economizar para investir no que realmente é necessário, eliminando os desperdícios.

BLV Como sanar as finanças do estado e ao mesmo tempo manter o pagamento dos servidores em dia sem inviabilizar economicamente Roraima, cujas finanças estão na bancarrota?

Denarium – Junto com a minha equipe econômica, já estou estudando opções para tirar Roraima dessa situação. Temos algumas ações já definidas e que assim que assumirmos o governo, serão colocadas em prática. São vários cenários possíveis, que exigirão muita austeridade e responsabilidade, mas que resultarão no equilíbrio das contas e, consequentemente, da gestão.

BLV – Quais suas propostas para melhorar a qualidade da educação oferecida aos estudantes roraimenses, notadamente aqueles que vivem na zona rural dos municípios interioranos e, por isso mesmo, enfrentam sérias dificuldades para frequentar a escola?

Denarium – Acabar com os desvios e desperdícios. Honrar os compromissos e pagar em dia os prestadores de serviço do transporte escolar, dos fornecedores da merenda (agricultura familiar) e principalmente, melhorar a estrutura das nossas escolas, na capital, interior e comunidades indígenas. Vou valorizar os servidores da educação, pois só assim, teremos professores e técnicos mais motivados. Com boa estrutura, transporte, merenda e valorização dos profissionais, teremos em curto prazo, melhores resultados em sala de aula, que irão refletir no futuro.

BLV – E na área da saúde, como solucionar os problemas de falta de medicamentos, equipamentos, profissionais e deficiência na gestão de forma a melhorar a qualidade dos serviços prestados à população?

Denarium – Vamos resolver rapidamente o problema dos medicamentos, possivelmente aderindo à Ata de Compras do Ministério da Saúde. Acredito que em 30 ou 60 dias, estaremos com o estoque de medicamentos e insumos regularizado. Para diminuir as filas por atendimento, exames e cirurgias, vou criar o Plantão da Saúde, que irá atender nas madrugadas, sábados e domingos. Vamos finalizar obras que se arrastam nos últimos dois governos, como o do anexo do HGR. Colocar pra funcionar o Hospital das Clínicas, no Pintolândia, que hoje ainda não atende com a sua capacidade total. Construir uma nova maternidade, pois a Maternidade Nossa Senhora de Nazareth não comporta mais a atual demanda, principalmente com o aumento da procura pelas venezuelanas. Vou investir em capacitação para que nossos profissionais possam realizar um atendimento de excelência, focado na humanização. Em pouco tempo, a população sentirá a diferença na melhoria dos serviços.

BLV – Falemos sobre segurança pública. Como frear o avanço da criminalidade, evitar fugas na PAMC, combater o crescimento das facções criminosas, reaparelhar as polícias? Os desafios nessa área são imensos, diante da falta de recursos.

Denarium – É preciso investir. Vou comprar 100 novas viaturas, armas, munição e equipamentos. Vou criar o Centro de Inteligência, onde as forças de segurança farão o planejamento de ações conjuntas de combate à criminalidade. Temos atuar na prevenção, tentando evitar o os crimes ocorram. E isso só é possível investindo em inteligência e tecnologia. Vamos capacitar os nossos profissionais da segurança em parceria com outros Estados. Além disso, vamos construir dois novos presídios, com o que há de mais moderno em tecnologia. Mas para que essas ações tenham resultado, precisamos investir no mais importante: educação. Para evitar que as nossas crianças e jovens trilhem o caminho da criminalidade. Aliado à ações de esporte, cultura e lazer, vamos virar esse jogo.

BLV – Finalmente, qual será sua primeira ação como governador de Roraima, caso o senhor seja eleito? Qual será sua prioridade número 1?

Denarium – São muitos problemas e não podemos estabelecer apenas uma prioridade. O que posso assegurar é que após a eleição do próximo domingo, estarei trabalhando no dia seguinte, para que possamos chegar ao dia 1 de janeiro, já com todo o plano de ação estabelecido. Já tenho conversas agendadas com o futuro presidente Jair Bolsonaro, para tratar das questões de interesse do Estado e ele tem se colocado à disposição para resolvê-los. Roraima terá tratamento diferenciado. E pela primeira vez, sentiremos os efeitos de uma parceria entre os governos federal e estadual, visando solucionar de uma vez por todas, os problemas de Roraima.

BLV – Deixe uma mensagem final de otimismo para os eleitores e cidadãos roraimenses que vivem na incerteza sobre como será o futuro, diante da atual situação do estado.

Denarium – Amigo eleitor, amiga eleitora de Roraima. Quero aproveitar o espaço cedido pelo jornal Roraisul para agradecer a cada um de vocês que acredita na mudança, que deposita a sua confiança no 17. Quero agradecer os 113.468 votos que tive no primeiro turno e pedir a cada eleitor, que tenha um amigo ou familiar que ainda está indeciso, que fale paras essas pessoas sobre as nossas propostas e o nosso projeto para o desenvolvimento de Roraima. Não podemos andar para trás. Precisamos ter a coragem de fazer as mudanças necessárias. E essas mudanças começam no próximo domingo. Você terá a oportunidade de se libertar da velha política e votar em alguém que, assim como você, também acredita que Roraima pode ser forte, pode ser um modelo para o restante do Brasil. Mas para isso, precisamos deixar o passado para trás. O caminho do desenvolvimento, da mudança da nossa matriz econômica, passa pelo investimento no setor primário. É a partir do campo, que vamos mover a roda da nossa economia, que vai refletir diretamente na criação e novas oportunidades também na cidade. Dessa forma, conseguiremos ampliar os investimentos em áreas essenciais como saúde, educação, segurança e infraestrutura, fazendo o Roraima que tanto queremos, mais justo para todos. Vamos juntos. Agora falta pouco. No próximo domingo, vamos mudar a história do nosso estado e da nossa população. Com Antonio Denarium 17!

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.