Superlotação, falta de medicamentos e serviços precários na maternidade

Profissionais que trabalham no Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazaré procuraram o blog neste sábado (20 de outubro) para denunciar a situação crítica daquela unidade de saúde. A queixa foi feita sob a condição do anonimato. A falta de medicamentos como ocitocina (hormônio que provoca contração do útero e é importante para parar sangramentos depois do parto) e produtos básicos como esparadrapo dificultam o trabalho dos médicos e podem levar à morte de parturientes.

A ocitocina é um é um produto hospitalar de fundamental importância, pois é usado para estancar eventuais hemorragias uterinas que ocorram no pós-parto. A carência desse hormônio pode até provocar a perda do útero ou a morte da paciente, disse um profissional de saúde da maternidade ao blog. O pior é que o medicamento está em falta há dias, conforme os relatos.

Outro problema é a superlotação da Maternidade, uma situação que se arrasta há muitos anos. Uma das fontes do blog enviou fotos mostrando pacientes nos corredores. “Em resumo a situação aqui está muito preocupante. Tanto pacientes mães quanto os bebês estão correndo sério risco de vida. O mais grave é a falta da ocitocina que pode resultar na perda de vidas de pacientes”, disse uma fonte do blog.

A grande procura de mulheres venezuelanas pelos serviços da maternidade fez os problemas já vivenciados pelos médicos naquela unidade hospitalar se agravarem ainda mais, pois a questão da superlotação piorou muito, além da carência de medicamentos e produtos que se agravou. “Várias mães recém paridas e até cirurgiadas tem que ficar esperando em poltronas, pois não há vagas nos leitos”, disse outra fonte.

A reclamação é geral não apenas dos pacientes, mas também dos próprios funcionários da maternidade.

Saiba um pouco mais sobre a ocitocina

ocitocina é um hormônio produzido na hipófise – a principal glândula do organismo – localizada no cérebro. Sua função mais conhecida é a de estimular a contração do útero na hora do parto. No entanto, a ocitocina não é exclusiva das mulheres, os homens também a fabricam. Além da sua função no parto, ela age como um neurotransmissor, regulando comportamento de interação social, sendo por isso também conhecida como o “hormônio do amor”. (Fonte: Site Minha Vida)

Fotos enviadas ao blog demonstram a situação de precariedade da Maternidade:

superlotação na maternidade
Esta era a situação do Hospital Materno Infantil neste sábado (20 de outubro)
situação precária na maternidade de boa vista
Mulheres ficam acomodadas precariamente em cadeiras nos corredores da Maternidade por falta de leitos
Corredores lotados de pacientes na Maternidade

Outro lado

O blog pediu uma resposta à Secretaria de Comunicação do Governo sobre o problema e estabeleceu como deadline o meio-dia. Até o fechamento desta matéria a Redação do blog não havia recebido as informações do governo.

Anúncios

Autor: Luiz Valério

Luiz Valério nasceu em Juazeiro do Norte, no Cariri cearense. Sou formado em Letras e atua como professor e jornalista. Tenho pós-graduação em Comunicação Social, Assessoria de Imprensa e Novas Tecnologias. Escrevo blogs desde 2003 período a partir do qual passei a me dedicar ao estudo do tema. Seja bem vindo, a casa é sua!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s