Advogados de Haddad pedem inelegibilidade de Bolsonaro por disseminação de fake news

Os advogados da coligação presidencial de Fernando Haddad entraram nesta quinta-feira (18), com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral para investigar se a campanha de Jair Bolsonaro (PSL) cometeu abuso de poder econômico e uso ilegal dos veículo de comunicação. Os advogados pedem que, terminadas as investigações, Bolsonaro fique inelegível por 8 anos.

“Ao final das investigações e processamento, seja julgada procedente a presente ação para que declare a inelegibilidade do representado Jair Bolsonaro para as eleições que se realizem nos 8 (oito) anos subsequentes à eleição em que se verificou.”

Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, empresários financiaram a propagação de notícias falsas pelo WhatsApp para prejudicar o PT. De acordo com o jornal, eles teriam contratos de até R$ 12 milhões para disparar mensagens em massa em uma grande operação na semana anterior ao 2º turno.

As empresas citadas pelo jornal paulista são Quick Mobile, Yacows Mobile, Croc Service, SMSMarket e o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas de departamento Havan.

O ex-prefeito de São Paulo se manifestou sobre o caso em entrevista à Rádio Tupi nesta 5ª. O partido entrou com ação “para que esses empresários corruptos sejam imediatamente presos, para parar com essas mensagens de Whatsapp”,disse.

Com informações de Poder360

Anúncios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.