Governo não tem dinheiro para pagar salário dos servidores estaduais

Representantes de entidades sindicais que congregam os servidores públicos de Roraima se reuniram com técnicos do Governo de Roraima na manhã desta quinta-feira (18) para cobrar o pagamento dos salários atrasados e foram informados de que não existe dinheiro para pagar os proventos dos trabalhadores estaduais.

Conforme já informado pelos representantes dos poderes e órgãos autônomos, o rombo nas contas públicas em Roraima é da ordem de R$ 800 milhões aproximadamente. A governadora Suely Campos não tem uma solução de curto prazo para contornar a situação.

Segundo foi dito na reunião, o governo não tem dinheiro nem previsão de pagamento dos servidores até o final deste ano. As informações repassadas para os sindicatos deixaram aumentaram a preocupação dos trabalhadores que estão acumulando contas a pagar.

Ao comunicar o resultado da reunião aos sindicalizados, que aguardavam do lado de fora do Palácio Senador Hélio Campos, os representantes das diversas categorias de servidores criticaram o governo, dizendo que houve um descompasso entre despesa e receita e que, apesar do superavit de arrecadação a administração estadual torrou os recursos gastando mais do que devia.

Francisco Figueira, presidente do Sintética, entidade sindical que reúne servidores do quadro efetivo, convocou uma greve para segunda-feira (22):

Os representantes dos servidores defendem a criação de um comitê de gestão de crise, como sugerido pela presidente do Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR), desembargadora Elaine Bianchi, e o fechamento de um pacto interinstitucional, envolvendo todos os poderes, como proposto pelo deputado estadual e líder do governo, Brito Bezerra.

“No entanto, o governo não apresentou até o momento nenhuma proposta viável. O que está em cheque não é apenas o pagamento do salário dos servidores públicos, o que está em xeque hoje é a sobrevivência do Estado de Roraima”, disse um dos representantes dos servidores.

Anúncios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.