Jalser nega participação em reunião que teria discutido renúncia de Suely

Apesar de todas as evidências e da confirmação feita pela própria Secretaria de Comunicação do Governo de Roraima à imprensa local e por deputados da base, o deputado Jalser Renier (SD), presidente da Assembleia Legislativa, disse que não existiu e que ele não participou de nenhuma reunião no Palácio Senador Hélio Campos para discutir a renúncia da governadora Suely Campos (Progressistas).

A afirmação foi feita na manhã desta quarta-feira (17) em resposta a uma pergunta feita por este blogueiro sobre quais medidas um governador substituto a Suely [no caso, ele, Jalser] adotaria para sanar a situação de insolvência financeira do estado, durante entrevista coletiva concedida por Jalser e representantes dos demais poderes, na Assembleia Legislativa.

Segundo fontes ouvidas pelo blog, uma das condições para Suely renunciar ao cargo seria a aprovação de uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição), modificando os parâmetros para a escolha do cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RR) de forma a permitir que a governadora pudesse vir a ser eleita para a vaga deixara por Essen Pinheiro.

A outra condição seria a aprovação de uma Lei, pelo Poder Legislativo, para permitir que o Governo de Roraima possa usar os recursos do Instituto da Previdência Estadual (IPER) para pagar as contas do estado que estão atrasadas, como o salário dos servidores.

No entanto, Jalser disse que nunca discutiu nada sobre renúncia com Suely Campos. Afirmou que esteve no Palácio do Governo, na segunda-feira (15), a convite da governadora para tratar sobre a situação financeira do estado. O presidente da Assembleia Legislativa disse que ficou sabendo “dessa história de renúncia da governadora” por meio de sites, mas, segundo ele, tudo mão passa de boatos.

Este blog reafirma que deputados da base confirmaram a existência da reunião para discutir a renúncia de Suely. Ainda na terça-feira (16) as informações sobre a possibilidade de renúncia da governadora voltaram a circular nos meios políticos.

Jalser disse que o que está em jogo é a busca por soluções para os problemas financeiros do estado, de forma que se possa encontrar uma saída para o pagamento dos salários atrasados dos servidores e demais compromissos que o governo não consegue saldar.

Jalser Renier, a presidente do Tribunal de Justiça de Roraima, Elaine Bianchi, o procurador de contas, Paulo Sérgio Sousa, e a procuradora-geral do estado, Elba Christine Amaranto de Moraes, assim como representantes do TCE e da Defensoria Pública, disseram que não participaram de nenhuma reunião para discutir a renúncia de Suely.

Todos os participantes da coletiva desta manhã jogaram a culpa pela insolvência financeira do estado na incapacidade administrativa da governadora Suely Campos. “Não existe a digital de nenhuma dessas instituições nessa situação”, disse o procurador de contas Paulo Sérgio.

Anúncios

Autor: Luiz Valério

Luiz Valério nasceu em Juazeiro do Norte, no Cariri cearense. Sou formado em Letras e atua como professor e jornalista. Tenho pós-graduação em Comunicação Social, Assessoria de Imprensa e Novas Tecnologias. Escrevo blogs desde 2003 período a partir do qual passei a me dedicar ao estudo do tema. Seja bem vindo, a casa é sua!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s