Crise imigratória aumenta procura por medicamentos em Rorainópolis

O município de Rorainópolis também tem sofrido os efeitos da crise imigratória. Dados da Secretaria Municipal de Saúde mostram que a procura por medicamentos nas farmácias básicas mais que triplicou. Esse aumento se deve ao grande fluxo de imigrantes venezuelanos no município.

Conforme a Secretaria de Saúde local, a programação de distribuição de medicamentos para a população local precisou ser toda refeita devido ao aumento exponencial na procura por remédios nas farmácias básicas e postos de saúde municipais.

Em setembro de 2017, por exemplo, foram atendidas 263 receitas de antibiótico e de 515 receitas de remédios que não necessariamente necessitam de prescrição médica. No período de julho/agosto de 2018, a saída de antibiótico aumentou para 560 e a dos remédios básicos subiu para 1.057.

Num único dia foi registrada a saída de mais de 500 comprimidos de sulfato ferroso e ácido fólico. “Essa quantidade era o que nós distribuíamos em uma semana”, frisou Naiana Sousa, farmacêutica responsável pelo abastecimento das farmácias de Rorainópolis .

Segundo a farmacêutica, os imigrantes chegam com doenças sazonais, como gripes e viroses, mas também apresentam patologias mais graves como DSTs e doenças de pele.

Este blogueiro preparou uma matéria detalhada sobre este assunto que estará na edição extra do Jornal Roraisul de setembro, que estará sendo distribuídas nos próximos dias.

Anúncios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.