Limbo particular

A vida acontecia lá fora
E ela apenas espiava da janela
Negando-se a participar daquilo
De que jurava não fazer parte
Pois não viera ao mundo para viver
Mas para ver como ocorria essa brincadeira sem graça
Para, quem sabe, se uma outra chance lhe fosse dada (chance de quê, afinal?)
Ela pudesse, então, ter instrumentos e repertório suficientes
Para participar da grande farsa humana que é a vida
Por enquanto, apenas olhava desconfiada
E sentia o gosto salgado do mar
Que lhe escorria dos olhos

Anúncios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.