Fim de sonho

É, a seleção brasileira perdeu para a França. Só agora resolvo falar disso. Que merda!
Acabou o sonho do Hexa. E muita gente chorou.
Os superastros do Brasil não jogaram nada, fora as exceções Lúcio, Cicinho e Roberto Carlos. Dida é sempre uma barreira.
O restante, uma negação. E aí o ufanismo movido a dinheiro do Galvão Bueno e companhia foi pelos ares.
A Globo inistiu tanto para que o técnico Parreira mudasse o esquema de jogo e a armação do time que quando ele cedeu às pressões, a coisa ficou pior do que estava. Antes a seleção brasileira pelo menos ganhava. Só foi mudar o time de acordo com as cobranças globais e pumba, tome derrota.
A França foi quem jogou um bolão. Zidane era só sorrisos e classe em campo. Fez uma partida irreprovável.
Mas é isso. Prevaleceu a velha máxima futebolística: quem não faz leva. E o Brasil levou.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.