Chico será investigado pela Corregedoria da Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Aldo Rebelo (PC do B), denunciou o deputado federal Chico Rodrigues (PFL) à Corregedoria da Casa por suposto uso de notas frias para justificar gastos. A denúncia já foi encaminhada ao corregedor-geral, deputado Ciro Nogueira (PP).

A denúncia feita por Rebelo contra o deputado roraimense tem como base reportagens publicadas tanto pelo “O Globo” quanto pelo “Correio Braziliense”, segundo apurou junto à Corregedoria da Câmara este repórter. Somente em 2005, a Câmara dos Deputados gastou R$ 41 milhões com combustíveis.

Reportagem do O Globo (veja infográfico ao lado), diz que Chico Rodrigues gastou R$ 60 mil com combustível entre janeiro e março deste ano. A Câmara dos Deputados ressarciu o dinheiro ao deputado a título de pagamento de verba indenizatória, no montante de R$ 15 mil por mês. Esse valor é repassado aos deputados pela Câmara para que eles paguem despesas de manutenção de escritórios nos Estados.

Quando ouvido pelo jornal “O Globo”, o parlamentar roraimense também teria afirmado que quando não consegue nota para ressarcir suas despesas com alimentação, apresenta notas fiscais referentes a gastos com combustível.

A este repórter por telefone, de Brasília, Chico Rodrigues disse que vai esperar ser notificado pela Corregedoria da Câmara para prestar os esclarecimentos necessários. Ele afirmou que vai dar todas as explicações necessárias ao líder do PFL na Casa. “De forma antecipada eu já tive a hombridade de declarar todas as minhas despesas com transparência, coisa que os outros ainda não fizeram”, afirmou.

Conforme Rodrigues, o Ato 62 de 2001, publicado pela Mesa Diretora da Câmara dos Deputados e regulamentado pela Portaria 16 de 4 de setembro de 2003, contempla o item “despesa com combustíveis e lubrificantes” sem estabelecer teto acima da verba indenizatória que é de R$ 15 mil.

Justificou que pelo elevado custo do combustível em Roraima, utiliza integralmente a verba indenizatória para o gasto com combustível em todas as suas atividades parlamentares. “Eu sou conhecido como o deputado que mais circula em todo o estado. Estou presente em praticamente todos os eventos realizados em Roraima”, frisou.

Rodrigues também alegou que, ao contrário de outros parlamentares, não utiliza os R$ 15 mil pagos pela Câmara a título de indenização com aquisição de material de expediente, em aluguel de imóveis, pagamento de IPTU ou contas de água, energia elétrica e telefone.

“Também não contrato consultoria, assessoria, trabalho técnico, aquisição ou locação de software, serviços postais, assinatura de publicações, TV a cabo ou similares e nem serviço de segurança prestado por empresa especializada entre ouros”, justificou.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.