Desintrusão da Raposa é criticada por bispo

O bispo da Igreja Católica Brasileira, D. Anselmo Silva, conversou esta semana com o Blog Repórter, quando fez comentário sobre a homologação e desintrusão da Terra Indígena (TI) Raposa Serra do Sol. Ele fez considerações bastante contundentes a respeito do assunto. Disse que os políticos de Roraima só brigam por questões como essa quando está próximo de período eleitoral e quando já não há mais nada a ser feito.

D. Anselmo Silva disse que a homologação da reserva indígena foi “um ato arbitrário e criminoso do governo Lula da Silva”. Na sua opinião, a intenção do presidente da República é minar o estado de Roraima e “entregar tudo às ONG’s”. Ele afirmou que essas organizações não-governamentais agem na defesa de “interesses escusos” e de olho nas riquezas naturais e minerais de Roraima, com o apoio da Igreja Católica Apostólica Romana (uso a terminologia completa para diferenciar da Igreja Católica Brasileira, da qual o personagem deste post é representante).

Sobre a questão da homologação da reserva indígena, tenho uma opinião formada, que é completamente diferente da apresentada pelo bispo. Não vejo como empecilho para o desenvolvimento de Roraima, como dizem. O que falta, na verdade, são projetos de desenvolvimento para este estado. Os sucessivos governantes que passaram pelo poder nenhum pensou a longo prazo, usaram apenas de medidas paliativas, popularescas… E só. É só observar o marasmo econômico no qual o estado vive mergulhado há anos. Logo o religioso Anselmo Silva tem razão, quando fala sobre a atuação dos políticos locais.

Anúncios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.