Lula está bem nas pesquisas de opinião, mas junto aos servidores públicos federais
O presidente Lula da Silva não cumpriu com a promessa feita aos servidores federais, de que criaria um Plano de Carreira para os que trabalham no ministério da Agricultura, Funasa, Delegacias Regionais do Trabalho (DRTs), Ibama, Incra entre outros órgãos e agora está amargando uma greve por tempo indeterminado em pleno ano eleitoral.

Em discussões mantidas no ano passado com a categoria, Lula se comprometeu em apresentar propostas de PCs ao Congresso Nacional para esses trabalhadores, mas chegamos em março de 2006 sem que ele tenha cumprido a promessa. Ele tem somente até o dia 1º de abril para criar os Planos de Carreira e apresentá-los ao Congresso para que sejam aprovados até junho, o que é difícil de acontecer.

Desde ontem, os servidores federais resolveram cruzar os braço e iniciar uma greve que já conseguiu um índice de aceitação de 40% a 50% em vários estados do país.

Em Roraima, a adesão até agora fica por conta apenas dos funcionários da Procuradoria da Fazenda Nacional (PFN) e da Gerência Regional Administrativa do Ministério da Fazenda (GRA). Foi realizada uma assembléia com os servidores da Funai e ficou decidido que eles aderem à paralisação na segunda-feira, 20.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Estado de Roraima (Sindsep), Gilberto Rosas, disse que a adesão será gradativa e que o movimento tomará proporções bem maiores nos próximos dias. Uma greve agora, em período de pré-campanha, era tudo que o governo Lula não precisava. Mas quem manda não cumprir como o prometido.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.